One place for hosting & domains

      certificado

      Cómo crear un certificado SSL autofirmado para Apache en Ubuntu 20.04


      Introducción

      TLS, o “seguridad de capa de transporte”, y su predecesor SSL, son protocolos utilizados para envolver el tráfico normal en un envoltorio protegido y cifrado. Usando esta tecnología, los servidores pueden enviar de forma segura información a sus clientes sin que sus mensajes sean interceptados o leídos por una parte externa.

      En esta guía, le mostraremos cómo crear y usar un certificado SSL autofirmado con el servidor web Apache en Ubuntu 20.04.

      Nota: Un certificado autofirmado cifrará la comunicación entre su servidor y cualquier cliente. Sin embargo, dado que no está firmado por ninguna de las autoridades certificadoras de confianza incluidas con los navegadores web y los sistemas operativos, los usuarios no pueden usar el certificado para validar la identidad de su servidor de forma automática. Como resultado, sus usuarios verán un error de seguridad cuando visiten su sitio.

      Debido a esta limitación, los certificados autofirmados no son apropiados para un entorno de producción que sirve al público. Normalmente, se utilizan para probar o para asegurar servicios no críticos utilizados por un solo usuario o un pequeño grupo de usuarios que pueden confiar en la validez del certificado a través de canales de comunicación alternativos.

      Para obtener una solución de certificado más preparado para la producción, consulte Let’s Encrypt, una autoridad de certificado gratuita. Puede aprender a descargar y configurar un certificado Let’s Encrypt en nuestro tutorial Cómo proteger Apache con Let’s Encrypt en Ubuntu 20.04.

      Requisitos previos

      Antes de iniciar este tutorial, necesitará lo siguiente:

      • Acceso a un servidor Ubuntu 20.04 con un usuario no root sudo habilitado. Nuestra guía de configuración inicial de servidor con Ubuntu 20.04 puede mostrarle cómo crear esta cuenta.
      • También deberá tener Apache instalado. Puede instalar Apache usando apt. Primero, actualice el índice de paquetes locales de modo que se refleje cualquier cambio anterior:

      A continuación, instale el paquete apache2:

      Y, por último, si tiene un firewall ufw configurado, abra los puertos http y https:

      • sudo ufw allow "Apache Full"

      Una vez que haya completado estos pasos, asegúrese de haber iniciado sesión como usuario no root y continúe con el tutoria.

      Paso 1: Habilitar mod_ssl

      Antes de poder utilizar cualquiera de los certificados SSL,primero se debe habilitar mod_ssl, un módulo de Apache que proporciona soporte para el cifrado SSL.

      Habilite mod_ssl con el comando a2enmod:

      Reinicie Apache para activar el módulo:

      • sudo systemctl restart apache2

      Ahora está habilitado el módulo mod_ssl y listo para su uso.

      Paso 2: Crear el certificado SSL

      Ahora que Apache está listo para usar cifrado, podemos continuar y generar un nuevo certificado SSL. El certificado almacenará información básica sobre su sitio, y estará acompañado de un archivo de claves que permite al servidor manejar de forma segura datos cifrados.

      Podemos crear la clave SSL y los archivos de certificado con el comando openssl:

      • sudo openssl req -x509 -nodes -days 365 -newkey rsa:2048 -keyout /etc/ssl/private/apache-selfsigned.key -out /etc/ssl/certs/apache-selfsigned.crt

      Tras introducir el comando, aparecerá un mensaje donde puede introducir información sobre su sitio web. Antes de abordar eso, observemos lo que sucede en el comando que emitimos:

      • openssl: es la herramienta de línea de comandos para crear y administrar certificados, claves y otros archivos de OpenSSL.
      • req -x509: especifica que deseamos usar la administración de la solicitud de firma de certificados (CSR) X.509. El “X.509” es un estándar de infraestructura de claves públicas al que se adhieren SSL y TLS para la administración de claves y certificados.
      • -nodes: indica a OpenSSL que omita la opción para proteger nuestro certificado con una frase de contraseña. Necesitamos que Apache pueda leer el archivo, sin intervención del usuario, cuando se inicie el servidor. Una frase de contraseña evitaría que esto suceda porque tendríamos que introducirla tras cada reinicio.
      • -days 365: esta opción establece el tiempo durante el cual el certificado se considerará válido. En este caso, lo configuramos por un año. Muchos navegadores modernos rechazarán cualquier certificado válido por más de un año.
      • -newkey rsa:2048: especifica que deseamos generar un nuevo certificado y una nueva clave al mismo tiempo. No creamos la clave que se requiere para firmar el certificado en un paso anterior, por lo que debemos crearla junto con el certificado. La parte rsa:2048 le indica que cree una clave RSA de 2048 bits de extensión.
      • -keyout: esta línea indica a OpenSSL dónde colocar el archivo de clave privada generado que estamos creando.
      • -out: indica a OpenSSL dónde colocar el certificado que creamos.

      Complete las solicitudes de forma adecuada. La línea más importante es la que solicita Common Name. Debe introducir el nombre de host que utilizará para acceder al servidor o a la IP pública del servidor. Es importante que este campo coincida con lo que pondrá en la barra de direcciones de su navegador para acceder al sitio, ya que un error de concordancia causará más errores de seguridad.

      La lista completa de las instrucciones tendrá un aspecto similar a este:

      Country Name (2 letter code) [XX]:US
      State or Province Name (full name) []:Example
      Locality Name (eg, city) [Default City]:Example 
      Organization Name (eg, company) [Default Company Ltd]:Example Inc
      Organizational Unit Name (eg, section) []:Example Dept
      Common Name (eg, your name or your server's hostname) []:your_domain_or_ip
      Email Address []:webmaster@example.com
      

      Los dos archivos que creó se ubicarán en los subdirectorios correspondientes en /etc/ssl.

      A continuación, actualizaremos nuestra configuración Apache para usar el nuevo certificado y la clave.

      Paso 3: Configurar Apache para usar SSL

      Ahora que tenemos nuestro certificado y la clave autofirmados disponibles, debemos actualizar nuestra configuración Apache para usarlos. En Ubuntu, puede colocar nuevos archivos de configuración de Apache (deben terminar en .conf) en /etc/apache2/sites-available/y se cargarán la próxima vez que se vuelva a cargar o reiniciar el proceso Apache.

      Para este tutorial, crearemos un nuevo archivo de configuración mínimo. (Si ya tiene un Apache <Virtualhost> configurado y solo necesita agregarle SSL, probablemente deberá copiar las líneas de configuración que comienzan con SSL, y cambiar el puerto VirtualHost de 80 a 443. Nos encargaremos del puerto 80 en el siguiente paso).

      Abra un nuevo archivo en el directorio /etc/apache2/sites-available:

      • sudo nano /etc/apache2/sites-available/your_domain_or_ip.conf

      Pegue la siguiente configuración mínima VirtualHost:

      /etc/apache2/sites-available/your_domain_or_ip.conf

      <VirtualHost *:443>
         ServerName your_domain_or_ip
         DocumentRoot /var/www/your_domain_or_ip
      
         SSLEngine on
         SSLCertificateFile /etc/ssl/certs/apache-selfsigned.crt
         SSLCertificateKeyFile /etc/ssl/private/apache-selfsigned.key
      </VirtualHost>
      
      

      Asegúrese de actualizar la línea ServerName a la que desea que se dirija su servidor. Puede ser un nombre de host, un nombre de dominio completo o una dirección IP. Asegúrese de que lo que elija coincida con Common Name que eligió al crear el certificado.

      Las líneas restantes especifican un directorio DocumentRoot para que sirva los archivos, y las opciones SSL necesarias para apuntar Apache a nuestro certificado y clave recién creados.

      Ahora vamos a crear nuestro DocumentRoot y ponemos un archivo HTML en él solo para fines de prueba:

      • sudo mkdir /var/www/your_domain_or_ip

      Abra un nuevo archivo index.html con su editor de texto:

      • sudo nano /var/www/your_domain_or_ip/index.html

      Pegue lo siguiente en el archivo en blanco:

      /var/www/your_domain_or_ip/index.html

      <h1>it worked!</h1>
      

      Esto no es un archivo HTML completo, por supuesto, pero los navegadores son indulgentes y bastará para verificar nuestra configuración.

      Guarde y cierre el archivo. A continuación, debemos habilitar el archivo de configuración con la herramienta a2ensite:

      • sudo a2ensite your_domain_or_ip.conf

      A continuación, realizaremos una prueba para ver que no haya errores de configuración:

      • sudo apache2ctl configtest

      Si la operación se completa de forma correcta, obtendrá un resultado similar a este:

      Output

      AH00558: apache2: Could not reliably determine the server's fully qualified domain name, using 127.0.1.1. Set the 'ServerName' directive globally to suppress this message Syntax OK

      La primera línea es un mensaje que le indica que la directiva ServerName no está configurada a nivel global. Si quiere deshacerse de ese mensaje, puede establecer ServerName en el nombre de dominio o la dirección IP de su servidor en /etc/apache2/apache2.conf. Esto es opcional, ya que el mensaje no causará problemas.

      Si el resultado contiene Syntax OK, en su archivo de configuración no habrá errores de sintaxis. Podemos volver a cargar Apache de forma segura para implementar nuestros cambios:

      • sudo systemctl reload apache2

      Ahora cargue su sitio en un navegador, asegurándose de usar https:// al principio.

      Debería ver un error. Esto es normal para un certificado autofirmado. El navegador le advierte que no puede verificar la identidad del servidor, porque nuestro certificado no está firmado por ninguna de sus autoridades de certificado conocidas. Para fines de prueba y uso personal, puede estar bien. Debería poder hacer clic en avanzada o más información y elegir continuar.

      Una vez que lo haga, su navegador cargará el mensaje it worked! (¡funcionó!).

      Nota: si su navegador no se conecta en absoluto al servidor, asegúrese de que su conexión no está siendo bloqueada por un firewall. Si utiliza ufw, los siguientes comandos abrirán los puertos 80 y 443:

      • sudo ufw allow "Apache Full"

      A continuación, añadiremos otra sección VirtualHost a nuestra configuración para que sirva las solicitudes HTTP sencillas y las redirija a HTTPS.

      Paso 4: Redirigir HTTP a HTTPS

      Actualmente, nuestra configuración solo responderá a las solicitudes HTTPS en el puerto 443. Es una buena práctica responder también en el puerto 80, incluso si quiere forzar que se cifre todo el tráfico. Configuraremos un VirtualHost para que responda a estas solicitudes no cifradas y las redireccione a HTTPS.

      Abra el mismo archivo de configuración Apache que iniciamos en pasos anteriores:

      • sudo nano /etc/apache2/sites-available/your_domain_or_ip.conf

      En la parte inferior, cree otro bloque VirtualHost para que coincida con las solicitudes en el puerto 80. Utilice la directiva ServerName para que coincida de nuevo con su nombre de dominio o su dirección IP. A continuación, utilice Redirect para que coincida con cualquier solicitud y las envíe al VirtualHost SSL. Asegúrese de incluir la barra de arrastre:

      /etc/apache2/sites-available/your_domain_or_ip.conf

      <VirtualHost *:80>
          ServerName your_domain_or_ip
          Redirect / https://your_domain_or_ip/
      </VirtualHost>
      

      Guarde y cierre este archivo cuando haya terminado, y vuelva a probar la sintaxis de configuración y a cargar Apache:

      • sudo apachectl configtest
      • sudo systemctl reload apache2

      Puede probar la nueva funcionalidad de redireccionamiento visitando su sitio con http:// simple delante de la dirección. Debería redireccionarse a https:// automáticamente.

      Conclusión

      Ahora ha configurado Apache para que sirva las solicitudes cifradas usando un certificado SSL autofirmado, y para redireccionar las solicitudes HTTP no cifradas a HTTPS.

      Si planea usar SSL para un sitio web público, debería pensar en comprar un nombre de dominio y usar una autoridad de certificado ampliamente compatible, como Let’s Encrypt.

      Para obtener más información sobre el uso de Let’s Encrypt con Apache, consulte nuestro tutorial Cómo proteger Apache con Let’s Encrypt en Ubuntu 20.04.



      Source link

      Como criar um certificado SSL auto-assinado para o Apache no Ubuntu 20.04


      Introdução

      O TLS, ou “segurança de camada de transporte” — e seu antecessor, o SSL — são protocolos usados para envolver o tráfego normal em um pacote protegido, criptografado. Ao usar esta tecnologia, os servidores podem enviar informações com segurança aos seus clientes sem que suas mensagens sejam interceptadas ou lidas por terceiros.

      Neste guia, mostraremos como criar e usar um certificado SSL auto-assinado com o servidor Web Apache no Ubuntu 20.04.

      Nota: um certificado auto-assinado irá criptografar a comunicação entre seu servidor e qualquer cliente. No entanto, uma vez que ele não é assinado por nenhuma das autoridades de certificados confiáveis incluídas com navegadores Web e sistemas operacionais, os usuários não podem usar o certificado para validar a identidade do seu servidor automaticamente. Como resultado, seus usuários irão ver um erro de segurança ao visitar seu site.

      Devido a esta limitação, certificados auto-assinados não são adequados para um ambiente de produção que atenda ao público. Eles são normalmente usados para testes, ou para proteger serviços não críticos usados por um único usuário ou um pequeno grupo de usuários que possam estabelecer confiança na validade do certificado através de canais de comunicação alternativos.

      Para uma solução de certificado mais pronta para produção, confira o Let’s Encrypt, uma autoridade certificadora gratuita. Você pode aprender como baixar e configurar um certificado Let’s Encrypt em nosso tutorial How To Secure Apache with Let’s Encrypt on Ubuntu 20.04.

      Pré-requisitos

      Antes de iniciar este tutorial, você precisará do seguinte:

      • Acesso a um servidor Ubuntu 20.04 com um usuário não-root, habilitado no sudo. Nosso guia Initial Server Setup with Ubuntu 20.04 pode lhe mostrar como criar esta conta.
      • Você também precisará ter o Apache instalado. Você pode instalar o Apache usando o apt. Primeiro, atualize o índice de pacotes local para refletir as últimas alterações upstream:

      Então, instale o pacote apache2:

      E, finalmente, se você tiver um firewall ufw configurado, abra as portas http e https:

      • sudo ufw allow "Apache Full"

      Depois de completar estes passos, lembre-se de fazer o login com um usuário não-root para seguir com o tutorial.

      Passo 1 — Habilitando o mod_ssl

      Antes de usarmos qualquer certificado de SSL, é necessário, primeiramente, habilitar o mod_ssl, um módulo do Apache compatível com criptografia SSL.

      Habilite o mod_ssl com o comando a2enmod:

      Reinicie o Apache para ativar o módulo:

      • sudo systemctl restart apache2

      O módulo mod_ssl agora está habilitado e pronto para uso.

      Passo 2 — Criando o certificado SSL

      Agora que o Apache está pronto para usar criptografia, podemos passar para a geração de um novo certificado SSL. O certificado irá armazenar algumas informações básicas sobre seu site, e será acompanhado por um arquivo de chave que permite ao servidor lidar com segurança com dados criptografados.

      Podemos criar a chave SSL e os arquivos de certificado com o comando openssl:

      • sudo openssl req -x509 -nodes -days 365 -newkey rsa:2048 -keyout /etc/ssl/private/apache-selfsigned.key -out /etc/ssl/certs/apache-selfsigned.crt

      Depois de inserir o comando, você será levado a um prompt onde você pode inserir informações sobre seu site. Antes de passarmos por isso, vamos ver o que está acontecendo no comando que estamos emitindo:

      • openssl: esta é a ferramenta de linha de comando para criação e gerenciamento de certificados OpenSSL, chaves e outros arquivos.
      • req -x509: isto especifica que queremos usar o gerenciamento X.509 de solicitação de assinatura de certificado (CSR). O X.509 é um padrão de infraestrutura de chave pública ao qual o SSL e o TLS aderem para gerenciamento de chaves e certificados.
      • -nodes: isso diz ao OpenSSL para pular a opção de proteger nosso certificado com uma frase secreta. Precisamos que o Apache consiga ler o arquivo, sem a intervenção do usuário, quando o servidor for iniciado. Uma frase secreta impediria que isso acontecesse porque teríamos que digitá-la após cada reinício.
      • -days 365: esta opção define o período de tempo em que o certificado será considerado válido. Aqui, nós configuramos ela para um ano. Muitos navegadores modernos irão rejeitar quaisquer certificados que sejam válidos por mais de um ano.
      • -newkey rsa:2048: isso especifica que queremos gerar um novo certificado e uma nova chave ao mesmo tempo. Não criamos a chave necessária para assinar o certificado em um passo anterior, então precisamos criá-la junto com o certificado. A parte rsa:2048 diz a ele para criar uma chave RSA com 2048 bits.
      • -keyout: esta linha diz ao OpenSSL onde colocar o arquivo de chave privada gerado que estamos criando.
      • -out: isso diz ao OpenSSL onde colocar o certificado que estamos criando.

      Preencha os prompts devidamente. A linha mais importante é aquela que requisita o Common Name. Você precisa digitar o nome do host que usará para acessar o servidor ou o IP público do mesmo. É importante que este campo corresponda ao que você colocar na barra de endereços do seu navegador para acessar o site, pois uma incompatibilidade irá causar mais erros de segurança.

      A lista completa de prompts será algo parecido com isto:

      Country Name (2 letter code) [XX]:US
      State or Province Name (full name) []:Example
      Locality Name (eg, city) [Default City]:Example 
      Organization Name (eg, company) [Default Company Ltd]:Example Inc
      Organizational Unit Name (eg, section) []:Example Dept
      Common Name (eg, your name or your server's hostname) []:your_domain_or_ip
      Email Address []:webmaster@example.com
      

      Ambos os arquivos que você criou serão colocados nos subdiretórios apropriados em /etc/ssl.

      Em seguida, atualizaremos nossa configuração do Apache para usar o novo certificado e chave.

      Passo 3 — Configurando o Apache para usar SSL

      Agora que temos nosso certificado auto-assinado e a chave disponíveis, precisamos atualizar nossa configuração do Apache para usá-los. No Ubuntu, você pode colocar novos arquivos de configuração do Apache (eles devem terminar em .conf) dentro de /etc/apache2/sites-available/ e eles serão carregados da próxima vez que o processo do Apache for recarregado ou reiniciado.

      Para este tutorial, criaremos um novo arquivo de configuração mínima. (Se você já tiver um Apache <Virtualhost> configurado e apenas precisar adicionar SSL a ele, você provavelmente precisará copiar as linhas de configuração que começam com SSL, e mudar a porta do VirtualHost de 80 para 443. Cuidaremos da porta 80 no próximo passo.)

      Abra um novo arquivo no diretório /etc/apache2/sites-available:

      • sudo nano /etc/apache2/sites-available/your_domain_or_ip.conf

      Cole nele a seguinte configuração mínima do VirtualHost:

      /etc/apache2/sites-available/your_domain_or_ip.conf

      <VirtualHost *:443>
         ServerName your_domain_or_ip
         DocumentRoot /var/www/your_domain_or_ip
      
         SSLEngine on
         SSLCertificateFile /etc/ssl/certs/apache-selfsigned.crt
         SSLCertificateKeyFile /etc/ssl/private/apache-selfsigned.key
      </VirtualHost>
      
      

      Certifique-se de atualizar a linha ServerName para o que você pretende endereçar ao seu servidor. Isso pode ser um nome de host, nome de domínio completo, ou um endereço IP. Verifique se o que você escolhe corresponde ao Common Name que você escolheu ao criar o certificado.

      As linhas restantes especificam um diretório DocumentRoot a partir do qual serão apresentados os arquivos e as opções SSL necessárias para apontar o Apache para nosso certificado e chave recém-criados.

      Agora, vamos criar nosso DocumentRoot e colocar um arquivo HTML nele apenas para fins de teste:

      • sudo mkdir /var/www/your_domain_or_ip

      Abra um novo arquivo index.html com seu editor de texto:

      • sudo nano /var/www/your_domain_or_ip/index.html

      Cole o seguinte no arquivo em branco:

      /var/www/your_domain_or_ip/index.html

      <h1>it worked!</h1>
      

      Este não é um arquivo HTML completo, claro, mas os navegadores são flexíveis e isso será suficiente para verificar nossa configuração.

      Salve e feche o arquivo. Em seguida, precisamos habilitar o arquivo de configuração com a ferramenta a2ensite:

      • sudo a2ensite your_domain_or_ip.conf

      Em seguida, vamos testar à procura de erros de configuração:

      • sudo apache2ctl configtest

      Se tudo for bem-sucedido, você receberá um resultado que se parecerá com este:

      Output

      AH00558: apache2: Could not reliably determine the server's fully qualified domain name, using 127.0.1.1. Set the 'ServerName' directive globally to suppress this message Syntax OK

      A primeira linha é apenas uma mensagem informando que a diretiva ServerName não está definida globalmente. Se você quiser se livrar dessa mensagem, você pode definir ServerName como o nome de domínio do seu servidor ou o endereço IP em /etc/apache2/apache2.conf. Isso é opcional, uma vez que a mensagem não causará problemas.

      Se seu resultado tiver Syntax OK nele, seu arquivo de configuração não possui erros de sintaxe. Podemos recarregar com segurança o Apache para implementar nossas alterações:

      • sudo systemctl reload apache2

      Agora, carregue seu site em um navegador, garantindo usar https:// no início.

      Você deve ver um erro. Isso é normal para um certificado auto-assinado! O navegador está lhe alertando que ele não pode verificar a identidade do servidor, pois nosso certificado não é assinado por nenhuma das suas autoridades certificadoras conhecidas. Para fins de teste e uso pessoal, isso está ok. Você deve ser capaz de clicar em avançado ou obter mais informações e optar por prosseguir.

      Depois que fizer isso, o navegador irá carregar it worked! como mensagem.

      Nota: se seu navegador não se conectar ao servidor, certifique-se de que sua conexão não esteja sendo bloqueada por um firewall. Se você estiver usando o ufw, os seguintes comandos abrirão as portas 80 e 443:

      • sudo ufw allow "Apache Full"

      Em seguida, adicionaremos outra seção VirtualHost à nossa configuração para atender requisições HTTP simples e redirecioná-las ao HTTPS.

      Passo 4 — Redirecionando HTTP para HTTPS

      Atualmente, nossa configuração irá responder apenas às requisições HTTPS na porta 443. É uma boa prática também responder na porta 80, mesmo que você queira forçar todo o tráfego a ser criptografado. Vamos configurar um VirtualHost para responder a essas requisições não criptografadas e redirecioná-las para HTTPS.

      Abra o mesmo arquivo de configuração do Apache que iniciamos nos passos anteriores:

      • sudo nano /etc/apache2/sites-available/your_domain_or_ip.conf

      Ao final, crie outro bloco VirtualHost para corresponder às requisições na porta 80. Use a diretiva ServerName para corresponder novamente ao seu nome de domínio ou endereço IP. Em seguida, use Redirect para corresponder a quaisquer requisições e enviá-las para o VirtualHost SSL. Certifique-se de incluir a barra final:

      /etc/apache2/sites-available/your_domain_or_ip.conf

      <VirtualHost *:80>
          ServerName your_domain_or_ip
          Redirect / https://your_domain_or_ip/
      </VirtualHost>
      

      Salve e feche este arquivo quando você tiver terminado, então teste sua sintaxe de configuração novamente e recarregue o Apache:

      • sudo apachectl configtest
      • sudo systemctl reload apache2

      Você pode testar a nova funcionalidade de redirecionar visitando seu site com o http:// simples em frente ao endereço. Você deve ser redirecionado para https:// automaticamente.

      Conclusão

      Agora, você configurou o Apache para atender requisições criptografadas usando um certificado SSL auto-assinado, e para redirecionar requisições HTTP não criptografadas para HTTPS.

      Se você estiver planejando usar SSL para um site público, você deve procurar comprar um nome de domínio e usar uma autoridade certificadora amplamente suportada, como o Let’s Encrypt.

      Para obter mais informações sobre o uso do Let’s Encrypt com o Apache, leia nosso tutorial How To Secure Apache with Let’s Encrypt on Ubuntu 20.04.



      Source link

      Como Criar um Certificado SSL Autoassinado para o Apache no Debian 10


      Introdução

      O TLS, ou Transport Layer Security, e seu predecessor SSL, que significa Secure Sockets Layer, são protocolos web usados para agrupar o tráfego normal em um encapsulamento protegido e criptografado.

      Usando essa tecnologia, os servidores podem enviar tráfego com segurança entre servidores e clientes, sem a possibilidade de mensagens serem interceptadas por terceiros. O sistema de certificação também ajuda os usuários a verificar a identidade dos sites aos quais estão se conectando.

      Neste guia, mostraremos como configurar um certificado SSL autoassinado para uso com um servidor web Apache no Debian 10.

      Nota: Um certificado autoassinado irá criptografar a comunicação entre o seu servidor e quaisquer clientes. No entanto, como ele não é assinado por nenhuma autoridade de certificação confiável incluída nos navegadores web, os usuários não podem usar o certificado para validar a identidade do seu servidor automaticamente.

      Um certificado autoassinado pode ser apropriado se você não tiver um nome de domínio associado ao seu servidor e nos casos em que uma interface web criptografada não esteja voltada para o usuário. Se você tiver um nome de domínio, em muitos casos, é melhor usar um certificado assinado pela CA (Autoridade Certificadora). Você pode descobrir como configurar um certificado gratuito confiável com o projeto Let’s Encrypt aqui.

      Pré-requisitos

      Antes de começar, você deve ter um usuário não-root configurado com privilégios sudo. Você pode aprender como configurar esse tipo de conta de usuário seguindo nosso tutorial Initial Server Setup with Debian 10.

      Você também precisará ter o servidor web Apache instalado. Se você deseja instalar uma pilha LAMP inteira (Linux, Apache, MariaDB, PHP) em seu servidor, siga nosso guia setting up LAMP on Debian 10. Se você deseja apenas o servidor Apache, pule os passos referentes ao PHP e ao MariaDB.

      Quando tiver concluído esses pré-requisitos, continue abaixo.

      Passo 1 — Criando o Certificado SSL

      O TLS/SSL funciona usando uma combinação de um certificado público e uma chave privada. A chave SSL é mantida em segredo no servidor. Ela é usada para criptografar o conteúdo enviado aos clientes. O certificado SSL é compartilhado publicamente com qualquer pessoa que solicite o conteúdo. Ele pode ser usado para descriptografar o conteúdo assinado pela chave SSL associada.

      Podemos criar uma chave autoassinada e um par de certificados com o OpenSSL em um único comando:

      • sudo openssl req -x509 -nodes -days 365 -newkey rsa:2048 -keyout /etc/ssl/private/apache-selfsigned.key -out /etc/ssl/certs/apache-selfsigned.crt

      Você será solicitado a responder uma série de perguntas. Antes de analisarmos isso, vamos dar uma olhada no que está acontecendo no comando que estamos executando:

      • openssl: Esta é a ferramenta de linha de comando básica para criar e gerenciar certificados OpenSSL, chaves e outros arquivos.
      • req: Este subcomando especifica que queremos usar o gerenciamento de solicitação de assinatura de certificado X.509 (CSR). O “X.509” é um padrão de infraestrutura de chave pública ao qual o SSL e o TLS aderem para seu gerenciamento de chaves e certificados. Queremos criar um novo certificado X.509, portanto, estamos usando esse subcomando.
      • -x509: Isso modifica ainda mais o subcomando anterior dizendo ao utilitário que queremos criar um certificado autoassinado em vez de gerar uma solicitação de assinatura de certificado, como normalmente aconteceria.
      • -nodes: Isso diz ao OpenSSL para ignorar a opção de proteger nosso certificado com uma senha. Precisamos do Apache para poder ler o arquivo, sem a intervenção do usuário, quando o servidor iniciar. Uma senha secreta impediria que isso acontecesse, pois teríamos que inseri-la após cada reinicialização.
      • -days 365: Esta opção define o período em que o certificado será considerado válido. Definimos isso para um ano aqui.
      • -newkey rsa:2048: Isso especifica que queremos gerar um novo certificado e uma nova chave ao mesmo tempo. Não criamos a chave necessária para assinar o certificado em uma etapa anterior, portanto, precisamos criá-la junto com o certificado. A parte rsa: 2048 diz para criar uma chave RSA com 2048 bits de comprimento.
      • -keyout: Essa linha informa ao OpenSSL onde colocar o arquivo de chave privada gerado que estamos criando.
      • -out: Isso informa ao OpenSSL onde colocar o certificado que estamos criando.

      Como dissemos acima, essas opções criarão um arquivo de chave e um certificado. Serão feitas algumas perguntas sobre nosso servidor para incorporarmos as informações corretamente no certificado.

      Preencha as instruções adequadamente. A linha mais importante é aquela que solicita o Common Name (por exemplo, FQDN do servidor ou SEU nome). Você precisa inserir o nome de domínio associado ao seu servidor ou, mais provavelmente, o endereço IP público do seu servidor.

      O sumário das solicitações será mais ou menos assim:

      Output

      Country Name (2 letter code) [AU]:US State or Province Name (full name) [Some-State]:New York Locality Name (eg, city) []:New York City Organization Name (eg, company) [Internet Widgits Pty Ltd]:Bouncy Castles, Inc. Organizational Unit Name (eg, section) []:Ministry of Water Slides Common Name (e.g. server FQDN or YOUR name) []:endereço_IP_do_servidor Email Address []:admin@seu_domínio.com

      Ambos os arquivos que você criou serão colocados nos subdiretórios apropriados em /etc/ssl.

      Passo 2 — Configurando o Apache para Usar SSL

      Criamos nossos arquivos de chave e certificado no diretório /etc/ssl. Agora só precisamos modificar nossa configuração do Apache para tirar vantagem disso.

      Vamos fazer alguns ajustes em nossa configuração:

      1. Criaremos um bloco de configuração para especificar configurações SSL fortes por padrão.
      2. Modificaremos o arquivo incluído de Virtual Host SSL do Apache para apontar para nossos certificados SSL que foram gerados.
      3. (Recomendado) Modificaremos o arquivo de Virtual Host não criptografado para redirecionar automaticamente as solicitações para o Virtual Host criptografado.

      Quando terminarmos, devemos ter uma configuração SSL segura.

      Criando um Bloco de Configuração do Apache com Definições Fortes de Criptografia

      Primeiro, criaremos um bloco de configuração do Apache para definir algumas configurações de SSL. Isso configurará o Apache com um forte conjunto de cifras SSL e permitirá alguns recursos avançados que ajudarão a manter nosso servidor seguro. Os parâmetros que definiremos podem ser usados por qualquer Virtual Host que habilite o SSL.

      Crie um novo bloco no diretório /etc/apache2/conf-available. Vamos nomear o arquivo como ssl-params.conf para tornar claro o seu propósito.

      • sudo nano /etc/apache2/conf-available/ssl-params.conf

      Para configurar o Apache SSL com segurança, usaremos as recomendações de Remy van Elst no site Cipherli.st. Este site foi desenvolvido para fornecer configurações de criptografia fáceis de consumir por softwares populares.

      As configurações sugeridas no site mencionado acima oferecem segurança forte. Às vezes, isso vem com o custo de se ter mais compatibilidade do cliente. Se você precisar oferecer suporte a clientes mais antigos, existe uma lista alternativa que pode ser acessada clicando no link na página rotulada “Yes, give me a ciphersuite that works with legacy / old software.” Essa lista pode ser substituída pelos itens copiados abaixo.

      A escolha de qual configuração você usará dependerá em grande parte do que você precisa suportar. Ambos fornecerão grande segurança.

      Para nossos propósitos, podemos copiar as configurações fornecidas na íntegra. Faremos apenas uma pequena alteração e desabilitaremos o cabeçalho Strict-Transport-Security (HSTS).

      O pré-carregamento do HSTS fornece maior segurança, mas pode ter consequências de longo alcance se for ativado acidentalmente ou incorretamente. Neste guia, não habilitaremos as configurações, mas você poderá modificá-las se tiver certeza de entender as implicações.

      Antes de decidir, reserve um momento para ler HTTP Strict Transport Security, or HSTS, e especificamente sobre a funcionalidade de “pré-carregamento”.

      Cole a seguinte configuração no arquivo ssl-params.conf que abrimos:

      /etc/apache2/conf-available/ssl-params.conf

      SSLCipherSuite EECDH+AESGCM:EDH+AESGCM:AES256+EECDH:AES256+EDH
      SSLProtocol All -SSLv2 -SSLv3 -TLSv1 -TLSv1.1
      SSLHonorCipherOrder On
      # Disable preloading HSTS for now.  You can use the commented out header line that includes
      # the "preload" directive if you understand the implications.
      # Header always set Strict-Transport-Security "max-age=63072000; includeSubDomains; preload"
      Header always set X-Frame-Options DENY
      Header always set X-Content-Type-Options nosniff
      # Requires Apache >= 2.4
      SSLCompression off
      SSLUseStapling on
      SSLStaplingCache "shmcb:logs/stapling-cache(150000)"
      # Requires Apache >= 2.4.11
      SSLSessionTickets Off
      

      Salve e feche o arquivo quando terminar.

      Modificando o Arquivo Padrão de Virtual Host SSL do Apache

      Agora, vamos modificar /etc/apache2/sites-available/default-ssl.conf, o arquivo padrão de Virtual Host SSL do Apache. Se você estiver usando um arquivo de blocos de servidor diferente, substitua seu nome nos comandos abaixo.

      Antes de prosseguir, vamos fazer backup do arquivo original do Virtual Host SSL:

      • sudo cp /etc/apache2/sites-available/default-ssl.conf /etc/apache2/sites-available/default-ssl.conf.bak

      Agora, abra o arquivo Virtual Host SSL para fazer ajustes:

      • sudo nano /etc/apache2/sites-available/default-ssl.conf

      Dentro dele, com a maioria dos comentários removidos, o bloco de Virtual Host deve se parecer com isso por padrão:

      /etc/apache2/sites-available/default-ssl.conf

      <IfModule mod_ssl.c>
              <VirtualHost _default_:443>
                      ServerAdmin webmaster@localhost
      
                      DocumentRoot /var/www/html
      
                      ErrorLog ${APACHE_LOG_DIR}/error.log
                      CustomLog ${APACHE_LOG_DIR}/access.log combined
      
                      SSLEngine on
      
                      SSLCertificateFile      /etc/ssl/certs/ssl-cert-snakeoil.pem
                      SSLCertificateKeyFile /etc/ssl/private/ssl-cert-snakeoil.key
      
                      <FilesMatch ".(cgi|shtml|phtml|php)$">
                                      SSLOptions +StdEnvVars
                      </FilesMatch>
                      <Directory /usr/lib/cgi-bin>
                                      SSLOptions +StdEnvVars
                      </Directory>
      
              </VirtualHost>
      </IfModule>
      

      Faremos alguns pequenos ajustes no arquivo. Definiremos as coisas normais que queremos ajustar em um arquivo de Virtual Host (endereço de email do ServerAdmin, ServerName etc.) e ajustaremos as diretivas SSL para apontar para o nosso certificado e arquivos de chave. Novamente, se você estiver usando um document root diferente, atualize a diretiva DocumentRoot.

      Depois de fazer essas alterações, seu bloco de servidor deve ser semelhante a este:

      /etc/apache2/sites-available/default-ssl.conf

      <IfModule mod_ssl.c>
              <VirtualHost _default_:443>
                      ServerAdmin seu_e-mail@example.com
                      ServerName domínio_do_servidor_ou_IP
      
                      DocumentRoot /var/www/html
      
                      ErrorLog ${APACHE_LOG_DIR}/error.log
                      CustomLog ${APACHE_LOG_DIR}/access.log combined
      
                      SSLEngine on
      
                      SSLCertificateFile      /etc/ssl/certs/apache-selfsigned.crt
                      SSLCertificateKeyFile /etc/ssl/private/apache-selfsigned.key
      
                      <FilesMatch ".(cgi|shtml|phtml|php)$">
                                      SSLOptions +StdEnvVars
                      </FilesMatch>
                      <Directory /usr/lib/cgi-bin>
                                      SSLOptions +StdEnvVars
                      </Directory>
      
              </VirtualHost>
      </IfModule>
      

      Salve e feche o arquivo quando terminar.

      (Recomendado) Modificando o Arquivo de Virtual Host HTTP para Redirecionar para HTTPS

      Do jeito que está no momento, o servidor fornecerá tanto o tráfego HTTP não criptografado quanto HTTPS criptografado. Para maior segurança, é recomendado na maioria dos casos redirecionar HTTP para HTTPS automaticamente. Se você não quiser ou não precisar dessa funcionalidade, você poderá pular seguramente esta seção.

      Para ajustar o arquivo de Virtual Host não criptografado para redirecionar todo o tráfego a ser criptografado por SSL, abra o arquivo /etc/apache2/sites-available/000-default.conf:

      • sudo nano /etc/apache2/sites-available/000-default.conf

      Dentro dos blocos de configuração VirtualHost, adicione uma diretiva Redirect, apontando todo o tráfego para a versão SSL do site:

      /etc/apache2/sites-available/000-default.conf

      <VirtualHost *:80>
              . . .
      
              Redirect "/" "https://seu_domínio_ou_IP/"
      
              . . .
      </VirtualHost>
      

      Salve e feche o arquivo quando terminar.

      Essas são todas as alterações de configuração que você precisa fazer no Apache. A seguir, discutiremos como atualizar as regras do firewall com o ufw para permitir o tráfego HTTPS criptografado no seu servidor.

      Passo 3 — Ajustando o Firewall

      Se você tiver o firewall ufw ativado, conforme recomendado pelos guias de pré-requisito, pode ser necessário ajustar as configurações para permitir o tráfego SSL. Felizmente, quando instalado no Debian 10, o ufw vem carregado com perfis de aplicativos que você pode usar para ajustar suas configurações de firewall.

      Podemos ver os perfis disponíveis digitando:

      Você deve ver uma lista como esta, com os quatro perfis a seguir na parte inferior da saída:

      Output

      Available applications: . . . WWW WWW Cache WWW Full WWW Secure . . .

      Você pode ver a configuração atual digitando:

      Se você permitiu apenas o tráfego HTTP regular anteriormente, sua saída pode ter esta aparência:

      Output

      Status: active To Action From -- ------ ---- OpenSSH ALLOW Anywhere WWW ALLOW Anywhere OpenSSH (v6) ALLOW Anywhere (v6) WWW (v6) ALLOW Anywhere (v6)

      Para permitir adicionalmente o tráfego HTTPS, permita o perfil “WWW Full” e então exclua a permissão redundante de perfil “WWW”:

      • sudo ufw allow 'WWW Full'
      • sudo ufw delete allow 'WWW'

      Seu status deve ficar assim agora:

      Output

      Status: active To Action From -- ------ ---- OpenSSH ALLOW Anywhere WWW Full ALLOW Anywhere OpenSSH (v6) ALLOW Anywhere (v6) WWW Full (v6) ALLOW Anywhere (v6)

      Com seu firewall configurado para permitir o tráfego HTTPS, você pode prosseguir para o próximo passo, onde veremos como habilitar alguns módulos e arquivos de configuração para permitir que o SSL funcione corretamente.

      Passo 4 — Ativando as Alterações no Apache

      Agora que fizemos nossas alterações e ajustamos o nosso firewall, podemos habilitar os módulos de SSL e de headers no Apache, habilitar o Virtual Host pronto para SSL e reiniciar o Apache para efetivar essas alterações.

      Ative o mod_ssl, o módulo SSL do Apache e o mod_headers, que são necessários para algumas das configurações em nosso bloco SSL, com o comando a2enmod:

      • sudo a2enmod ssl
      • sudo a2enmod headers

      Em seguida, ative seu Virtual Host SSL com o comando a2ensite:

      • sudo a2ensite default-ssl

      Você também precisará habilitar seu arquivo ssl-params.conf para ler os valores que você definiu:

      Neste ponto, o site e os módulos necessários estão habilitados. Devemos verificar para garantir que não haja erros de sintaxe em nossos arquivos. Faça isso digitando:

      • sudo apache2ctl configtest

      Se tudo der certo, você obterá um resultado parecido com o seguinte:

      Output

      Syntax OK

      Desde que sua saída tenha um Syntax OK, seu arquivo de configuração não tem erros de sintaxe e você poderá reiniciar o Apache com segurança para implementar as alterações:

      • sudo systemctl restart apache2

      Com isso, seu certificado SSL autoassinado está pronto. Agora você pode testar se seu servidor está criptografando corretamente o tráfego.

      Passo 5 — Testando a Criptografia

      Agora você está pronto para testar seu servidor SSL.

      Abra o seu navegador e digite https:// seguido pelo nome de domínio ou IP do seu servidor na barra de endereços:

      https://domínio_do_servidor_ou_IP
      

      Como o certificado que você criou não foi assinado por uma das autoridades de certificação confiáveis do seu navegador, você provavelmente verá um aviso de aparência assustadora como o abaixo:

      Apache self-signed cert warning

      Isso é esperado e normal. Estamos interessados apenas no aspecto de criptografia do nosso certificado, não na validação de terceiros da autenticidade do nosso host. Clique em AVANÇADO e, em seguida, no link fornecido para continuar com seu host:

      Apache self-signed override

      Você deve ser levado ao seu site. Se você procurar na barra de endereço do navegador, verá uma fechadura com um “x” sobre ela ou outro aviso similar de “não seguro”. Nesse caso, isso significa apenas que o certificado não pode ser validado. Ele ainda está criptografando sua conexão.

      Se você configurou o Apache para redirecionar HTTP para HTTPS, também poderá verificar se o redirecionamento funciona corretamente:

      http://domínio_do_servidor_ou_IP
      

      Se isso resultar no mesmo ícone, isso significa que seu redirecionamento funcionou corretamente. No entanto, o redirecionamento que você criou anteriormente é apenas um redirecionamento temporário. Se você deseja tornar o redirecionamento permanente para HTTPS, continue até o passo final.

      Passo 6 — Alterando para um Redirecionamento Permanente

      Se o seu redirecionamento funcionou corretamente e você tem certeza de que deseja permitir apenas o tráfego criptografado, modifique o Apache Virtual Host não criptografado novamente para tornar o redirecionamento permanente.

      Abra o arquivo do bloco de configuração do seu servidor novamente:

      • sudo nano /etc/apache2/sites-available/000-default.conf

      Encontre a linha Redirect que adicionamos anteriormente. Adicione permanent a essa linha, que altera o redirecionamento de um redirecionamento 302 temporário para um redirecionamento 301 permanente:

      /etc/apache2/sites-available/000-default.conf

      <VirtualHost *:80>
              . . .
      
              Redirect permanent "/" "https://seu_domínio_ou_IP/"
      
              . . .
      </VirtualHost>
      

      Salve e feche o arquivo.

      Verifique sua configuração quanto a erros de sintaxe:

      • sudo apache2ctl configtest

      Se este comando não relatar erros de sintaxe, reinicie o Apache:

      • sudo systemctl restart apache2

      Isso tornará o redirecionamento permanente, e seu site servirá apenas tráfego por HTTPS.

      Conclusão

      Você configurou o servidor Apache para usar criptografia forte para conexões de cliente. Isso permitirá que você atenda solicitações com segurança e impedirá que terceiros leiam seu tráfego.



      Source link